https://fbcdn-sphotos-e-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xfa1/t1.0-9/998935_721692497847799_332490081_n.jpg



Quer curtir uma Musica...por favor, ligue o RÁDIO!!
CLIQUE ABAIXO!











=PARA VIVER COM POESIA=

No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as
únicas que o vento não consegue levar:
um estribilho antigo, o carinho no momento preciso,
o folhear de um livro,
o cheiro que um dia teve o próprio vento...

=(Mário Quintana - Para Viver Com Poesia)=





...







sábado, 11 de janeiro de 2014

Consertei o Mundo!


Um cientista vivia trancado em seu laboratório, procurando respostas
para os problemas do mundo.
Certo dia, seu filho de sete anos invadiu sua sala, decidido a ajudá-lo.
Impaciente, o cientista pediu que o filho fosse brincar em outro lugar,
no entanto, sem sucesso.
Então procurou algum objeto que pudesse entreter a curiosidade do menino,
logo encontrando o mapa-múndi impresso na página de uma revista.
Recortou o mapa em vários pedaços, pegou um rolo de fita adesiva e entregou
tudo ao filho, dizendo:
- Você gosta de quebra-cabeças?
Então vou lhe dar o mundo, todo quebrado, para consertar.
Veja se consegue fazer tudo direitinho.
Calculou que a criança levaria dias para recompor o mapa.
Porém, algumas horas depois, ouviu a voz do filho:
- Pai, pai, já fiz tudo. Consegui terminar tudinho!
Incrédulo, o cientista levantou os olhos de suas anotações,
certo de que veria uma mapa sem sentido. Mas, para sua surpresa,
o mapa estava completo, com tudo em seus devidos lugares.
- Você não sabia como era o mundo, meu filho. Como conseguiu?
- Pai , eu não sabia como era o mundo, tentei consertar, mas não consegui.
Mas quando você tirou o papel da revista para recortar, eu vi que, do outro lado,
havia a figura de um homem. Então lembrei disso, virei os recortes e comecei a
consertar o homem que eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem,
virei a folha e vi que havia consertado o mundo.

Crônica do Amor.


Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca. Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera. Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco. Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então? Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome. Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo. Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara? Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor. É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível. Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor? Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados. Não funciona assim. Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível. Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó! Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.

O Poder Do Sorriso.


Oferecer um sorriso torna feliz o coração.
Enriquece quem o recebe sem empobrecer quem o doa.
Dura somente um instante, mas sua lembrança permanece por longo tempo.
Ninguém é tão rico a ponto de dispensá-lo, nem tão pobre que não possa doá-lo.
O sorriso gera alegria na família, dá sustento no trabalho e é sinal tangível de amizade.
Um sorriso dá consolo a quem está cansado, renova a coragem nas
provações e é remédio na tristeza.

E se um dia você encontrar que não lhe oferece um sorriso, seja generoso e ofereça-lhe o seu:
Ninguém tem tanta necessidade de um sorriso quanto aquele que não sabe dar.

Simplesmente Tua!


Atrevo-me aos seus apelos.
Toque-me a pele arrepie-me os pelos.
Sinta o veludo da minha pele.
Descubra os caminhos das minhas curvas.
Faça parada em cada uma delas.
Sinta o prazer que posso lhe dar.
Navegue em meus devaneios.
Faça-me tua;
Permita-me proporcionar;
Momentos inesquecíveis.
Que jamais alguém lhe deu.
A.D

A tua voz fala amorosa...=Fernando Pessoa=


Qual é a tarde por achar
Em que teremos todos razão
E respiraremos o bom ar
Da alameda sendo verão,

Ou, sendo inverno, baste 'star
Ao pé do sossego ou do fogão?
Qual é a tarde por voltar?
Essa tarde houve, e agora não.

Qual é a mão cariciosa
Que há de ser enfermeira minha—
Sem doenças minha vida ousa —
Oh, essa mão é morta e osso ...
Só a lembrança me acarinha
O coração com que não posso.

=Fernando Pessoa=

Dói-me quem sou. E em meio da emoção=Fernando Pessoa=


Dói-me quem sou. E em meio da emoção
Ergue a fronte de torre um pensamento
É como se na imensa solidão
De uma alma a sós consigo, o coração
Tivesse cérebro e conhecimento.

Numa amargura artificial consisto,
Fiel a qualquer idéia que não sei,
Como um fingido cortesão me visto
Dos trajes majestosos em que existo
Para a presença artificial do rei.

Sim tudo é sonhar quanto sou e quero.
Tudo das mãos caídas se deixou.
Braços dispersos, desolado espero.
Mendigo pelo fim do desespero,
Que quis pedir esmola e não ousou.
=Fernando Pessoa=

A Primeira Vez Que Te Vi ...=ELIS NOGUEIRA=


Lembro-me como se ontem fosse
O dia que nos vimos pela primeira vez
A ansiedade daquele encontro
Sem saber o que eu ia dizer...
Andava por entre aquelas alamedas
Com um medo a me dominar
Tantas coisas passavam pela minha cabeça
Temendo palavras não encontrar...
Quando meus olhos cruzaram com os seus
Foi como se um filme passasse por meus pensamentos
A certeza que tinha encontrado o alguém
Que veio para acabar com todas as minhas incertezas...
É incrível a descoberta do amor
Mesmo quando ainda não sabemos que amamos
Nossos olhos ganham novo brilho
E nossa vida um novo sentido!

Autor: ELIS NOGUEIRA

Nosso Amor...=Fernando Pessoa=


Nosso amor é mar em fúria,
Que se acalma de repente…
Como brisa de outono,
Envolve e fascina a gente…
Nosso amor é cavalgada
De alazões na amplidão,
Colibris em revoada,
Espalhando emoção…

Tempestades de carícias
Emergem de nosso amor,
Tufões de incríveis delícias,
Ondas de fértil sabor…
É um misto instigante
De potência e ternura,
De aromas multicores,
De meiguice e loucura…

Nosso amor é inocente
Qual sorriso de criança,
São grilhões que nos enlaçam
Em amarras de bonança…
Cada abraço é um pedido,
O pedido, uma promessa,
De quem anseia doar-se,
De quem amar sente pressa...

Enfim…
….o nosso amor é assim...
Um viajante do tempo,
Que mescla adoravelmente
O passado e o futuro Em nosso eterno presente…

=Fernando Pessoa=

Frases de =Fernando Pessoa=


Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?
___________________________________________________
A maioria pensa com a sensibilidade, eu sinto com o pensamento. Para o homem vulgar, sentir é viver e pensar é saber viver. Para mim, pensar é viver e sentir não é mais que o alimento de pensar.
__________________________________________________
Querer não é poder. Quem pôde, quis antes de poder só depois de poder. Quem quer nunca há-de poder, porque se perde em querer.
__________________________________________________
Considerar a nossa maior angústia como um incidente sem importância, não só na vida do universo, mas da nossa mesma alma, é o princípio da sabedoria
__________________________________________________
Tudo que se passa no onde vivemos é em nós que se passa. Tudo que cessa no que vemos é em nós que cessa
. __________________________________________________
Ver e ouvir são as únicas coisas nobres que a vida contém. Os outros sentidos são plebeus e carnais. A única aristocracia é nunca tocar.
__________________________________________________
Ler é sonhar pela mão de outrem. Ler mal e por alto é libertarmo-nos da mão que nos conduz. A superficialidade na erudição é o melhor modo de ler bem e ser profundo.
__________________________________________________
O pensamento pode ter elevação sem ter elegância, e, na proporção em que não tiver elegância, perderá a ação sobre os outros. A força sem a destreza é uma simples massa.
__________________________________________________
Tudo que existe existe talvez porque outra coisa existe. Nada é, tudo coexiste: talvez assim seja certo..
__________________________________________________
Podemos morrer se apenas amámos.
=Fernando Pessoa=

Coletânea de Frases e Poemas de Clarice Lispector


Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso.
Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.
=Clarice Lispector=
___________________________________
Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas
nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.
=Clarice Lispector=
___________________________________
Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.
=Clarice Lispector= ___________________________________ Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.
(Perto do Coração Selvagem)
=Clarice Lispector=
__________________________________________________
Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós.
=Clarice Lispector=
__________________________________________________
Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.
=Clarice Lispector=
__________________________________________________
Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca.
=Clarice Lispector=
_________________________________________________
Eu não sou tão triste assim, é que hoje eu estou cansada
=Clarice Lispector=
_________________________________________________
...faz de conta que ela nao estava chorando por dentro -
pois agora mansamente, embora de olhos secos, o coração estava molhado;
ela saíra agora da voracidade de viver.
=Clarice Lispector= ________________________________________________
Gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.
=Clarice Lispector=

Procuro...A.D


...procuro urgentemente um coração.
Que além de ser humano, seja gente.
Que antes de ser adulto, seja criança.

Que tendo vontade de chorar, chore e ria...
Que traga alegria e fé para minha alma

E lutando ao meu lado seja um leão...
Mas que seja vibração e loucura me amando.

Que tenha um sorriso acolhedor...
De olhos úmidos de emoção...
De lábios amorosos e quentes...
Que nunca simulem afeição...
Mas que sejam firmes na defesa de suas vontades.

É imprescindível que saiba dançar;
que goste do mar, que dance na chuva e cante mansinho.
Precisa-se muito deste ser humano especial e único.
Porque será sempre meu !
Que sempre será livre para podermos voar juntos.

Será belo, porque o verei com os olhos do espírito.
Que será sempre rico, pois dele serão os tesouros do meu amor...

Aceita doar-me este teu coração??

A.D

Seguindo o Amor.=Khalil Gibran=


Quando o amor acenar, siga-o ainda que por caminhos
ásperos e íngremes.
E quando suas asas o envolverem, renda-se a ele
Ainda que a lâmina escondida sob suas asas possa ferí-lo.
E quando ele falar a você, acredite no que ele diz,
Ainda que sua voz possa destroçar seus sonhos,
Assim como o vento norte devasta o jardim.
Pois, se o amor coroa, ele também o crucifica.
Se o ajuda a crescer, também o diminui.
Se o faz subir às alturas e acaricia seus ramos
mais tenros que
tremem ao sol, também o faz descer às raízes e
abala sua
ligação com a terra.
Como os feixes de trigo, ele o mantém íntegro.
Debulha-o até deixá-lo nu.
Transforma-o, livrando-o de sua palha.
Tritura-o, até torná-lo branco.
Amassa-o, até deixá-lo macio e, então, submeta-o
ao fogo para que se transforme em pão, no banquete
sagrado de Deus.
Todas essa coisas pode o amor fazer para que você
conheça os segredos de seu coração e, com esse
conhecimento, se torne um fragmento do coração da VIDA.

=(Khalil Gibran)=

Que Mulher Nunca Teve .A.D.


Um sutiã meio furado,
Um tio meio tarado
ou um amigo meio veado?
Que mulher nunca tomou
Um fora de querer sumir,
Um porre de cair
Ou um remédio pra dormir?
Que mulher nunca sonhou
Com a sogra morta, estendida,
Em ser muito feliz na vida
Ou com uma lipo na barriga?
Que mulher nunca pensou
Em zunir uma panela,
Jogar os filhos pela janela
Ou que a culpa era toda dela?
Que mulher nunca penou
Pra ter a perna depilada,
Pra aturar uma empregada
Ou pra trabalhar menstruada?
Que mulher nunca acordou
Com um desconhecido ao lado,
Com o cabelo desgrenhado
Ou com o travesseiro babado?
Que mulher nunca comeu uma caixa de
bombons, pela mais pura ansiedade,
Uma alface, no almoço, por vaidade
Ou, um canalha por saudade?
Que mulher nunca apertou
O pé no sapato pra caber,
A barriga pra emagrecer
Ou um ursinho pra não enlouquecer?
Que mulher nunca jurou
Que não estava ao telefone,
Que não pensa em silicone
Ou que "dele" não lembra nem o nome?

Não tenha vergonha caso você se identifique com tudo, ou quase tudo!
Só mesmo as mulheres para entender o significado deste poema!

.A.D.

Chega de Saudade=Vinicius de Moraes =


Vai, minha tristeza, e diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe, numa prece, que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade, a realidade é que sem ela
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas, se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim.
=Vinicius de Moraes =

Uma Linda História de Amor – NEOQEAV==Autor Desconhecido=


Meus avós já estavam casados há mais de cinqüenta anos e continuavam jogando um jogo
que haviam iniciado quando começaram a namorar.
A regra do jogo era que um tinha que escrever a palavra “Neoqeav” num lugar
inesperado para o outro encontrar e assim quem a encontrasse deveria escrevê-la
em outro lugar e assim sucessivamente.
Eles se revezavam deixando “Neoqeav” escrita por toda a casa, e assim que um a
encontrava era sua vez de escondê-la em outro local para o outro achar.
Eles escreviam “Neoqeav” com os dedos no açúcar dentro do açucareiro ou no pote de
farinha para que o próximo que fosse cozinhar a achasse. Escreviam na janela embaçada
pelo sereno que dava para o pátio onde minha avó nos dava pudim que ela fazia com tanto carinho.
“Neoqeav” era escrita no vapor deixado no espelho depois de um banho quente, onde a palavra iria reaparecer depois do próximo banho.
Uma vez, minha avó até desenrolou um rolo inteiro de papel higiênico para deixar
“Neoqeav” na última folha e enrolou tudo de novo.
Não havia limites para onde “Neoqeav” pudesse surgir.
Pedacinhos de papel com “Neoqeav” rabiscado apareciam grudados no volante do carro
que eles dividiam.
Os bilhetes eram enfiados dentro dos sapatos e deixados debaixo dos travesseiros.
“Neoqeav” era escrita com os dedos na poeira sobre as prateleiras e nas cinzas da lareira.
Esta misteriosa palavra tanto fazia parte da casa de meus avós quanto da mobília.
Levou bastante tempo para eu passar a entender e gostar completamente deste jogo
que eles jogavam. Meu ceticismo nunca me deixou acreditar em um único e verdadeiro amor,
que possa ser realmente puro e duradouro.
Porém, eu nunca duvidei do amor entre meus avós.
Este amor era profundo. Era mais do que um jogo de diversão, era um modo de vida.
Seu relacionamento era baseado em devoção e uma afeição apaixonada, igual as quais
nem todo mundo tem a sorte de experimentar. O vovô e a vovó ficavam de mãos dadas
sempre que podiam.
Roubavam beijos um do outro sempre que se batiam um contra outro naquela cozinha tão pequena.
Eles conseguiam terminar a frase incompleta do outro e todo dia resolviam juntos as
palavras cruzadas do jornal. Minha avó cochichava para mim dizendo o quanto meu avô
era bonito, como ele havia se tornado um velho bonito e charmoso.
Ela se gabava de dizer que sabia como pegar os namorados mais bonitos.
Antes de cada refeição eles se reverenciavam e davam graças a Deus e bençãos aos
presentes por sermos uma família maravilhosa, para continuarmos sempre unidos e com boa sorte.
Mas uma nuvem escura surgiu na vida de meus avós: minha avó tinha câncer de mama.
A doença tinha primeiro aparecido dez anos antes.
Como sempre, vovô estava com ela a cada momento.
Ele a confortava no quarto amarelo deles, que ele havia pintado dessa cor para que
ela ficasse sempre rodeada da luz do sol, mesmo quando ela não tivesse forças para sair.
O câncer agora estava de novo atacando seu corpo.
Com a ajuda de uma bengala e a mão firme do meu avô, eles iam à igreja toda manhã.
E minha avó foi ficando cada vez mais fraca, até que, finalmente, ela não mais
podia sair de casa. Por algum tempo, meu avô resolveu ir à igreja sozinho, rezando
a Deus para zelar por sua esposa. Então, o que todos nós temíamos aconteceu.
Vovó partiu.
“Neoqeav”foi gravada em amarelo nas fitas cor-de-rosa dos buquês de flores do
funeral da vovó.
Quando os amigos começaram a ir embora, minhas tias, tios, primos e outras pessoas
da família se juntaram e ficaram ao redor da vovó pela última vez.
Vovô ficou bem junto do caixão da vovó e, num suspiro bem profundo, começou a
cantar para ela.
Através de suas lágrimas e pesar, a música surgiu como uma canção de ninar que
vinha bem de dentro de seu ser. Me sentindo muito triste, nunca vou me esquecer
daquele momento. Porque eu sabia que mesmo sem ainda poder entender completamente
a profundeza daquele amor, eu tinha tido o privilégio de testemunhar a beleza
sem igual que aquilo representava.
Aposto que a esta altura você deve estar se perguntando:
“Mas o que Neoqeav significa?”

Nunca Esqueça O Quanto Eu Amo Você
=Autor Desconhecido=

Um Sonho Lindo!


Nesta noite tive um sonho lindo,
Sonhei que estava junto de ti meu querido!
Não havia distâncias, nem medos, nem tabus...
Tudo era tão real,Tão mágico!
Nós nos amávamos e curtíamos um ao outro...
Eu cantava pra você na varanda da tua casa,
Não me lembro ao certo qual era a música,
Só sei que conseguia te envolver em um momento
de puro êxtase!
A tua boca tinha o gosto mais doce do que o chocolate...
E o teu olhar era fixo e ao mesmo tempo atraente!
De repente acordei...
Olhei em volta, não me entristeci pelo fato de
ter sido apenas um sonho...
O teu gosto permaneceu em meus lábios!
Pode ser que esse sonho torne-se realidade um dia desses...
Pois o mesmo sentimento que me perturba,
também o perturba toda a noite!
Você buscava entre as constelações
A mais perfeita melodia
Para tocar meu coração...

Pryscila Nery

Tenho Tanto Sentimento=Fernando Pessoa.=


Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.

=Fernando Pessoa=

*zigzagueando com frases filosóficas ao vento *


A melhor maneira de ser feliz é contribuir para a felicidade dos outros.
=Confucio=

A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos
sempre depois de cada queda.
=Confúcio=

Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura.
=Friedrich Nietzsche=

Uma mulher bonita não é aquela de quem se elogiam as pernas ou os braços,
mas aquela cuja inteira aparência é de tal beleza que não deixa possibilidades
para admirar as partes isoladas.
=Séneca=

Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é
quando os homens têm medo da luz.
=Platão=

Não se odeia quando pouco se preza, odeia-se só o que está à nossa altura ou é superior a nós.
=Friedrich Nietzsche=

Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez! E falsa seja para nós
toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma gargalhada!
=Friedrich Nietzsche=

Antes, a questão era descobrir se a vida precisava de ter algum significado para ser vivida.
Agora, ao contrário, ficou evidente que ela será vivida melhor se não tiver significado.
=Albert Camus=

Quem ama extremamente, deixa de viver em si e vive no que ama.
=Platão=

Quando se amarra bem o próprio coração e se faz dele um prisioneiro, pode-se permitir ao
próprio espírito muitas liberdades.
=Friedrich Nietzsche=

As Colheres de Cabo Comprido.


Conta uma lenda que Deus convidou

um homem para conhecer o céu e o inferno. Foram primeiro ao inferno.
Ao abrirem uma porta, o homem viu uma sala em cujo
centro havia um caldeirão de substanciosa sopa
e à sua volta estavam sentadas pessoas famintas e
desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher, porém de cabo muito
comprido, que lhes possibilitava
alcançar o caldeirão, mas não permitia que colocassem
a sopa na própria boca.
O sofrimento era Grande. Em seguida, Deus levou o homem
para conhecer o céu.
Entraram em uma sala idêntica à primeira: havia o
mesmo caldeirão, as pessoas em volta e as
colheres de cabo comprido. A diferença é que todos
estavam saciados. Não havia fome, nem
sofrimento. 'Eu não compreendo', disse o homem
a Deus, 'por que aqui as pessoas estão felizes
enquanto na outra sala morrem de
aflição, se é tudo igual?'
Deus sorriu e respondeu:
'Você não percebeu? É que porque aqui eles
aprenderam a dar comida uns aos outros.'

Moral:
Temos três situações que merecem profunda reflexão:
1. Egoísmo: as pessoas no 'inferno' estavam
altamente preocupadas com a sua própria fome,

impedindo que se pensasse em alternativas para
equacionar a situação;

2. Criatividade: como todos estavam querendo se safar da
situação caótica que se encontravam, não tiveram a iniciativa de buscar
alternativas que pudessem resolver o problema;

3. Equipe: se tivesse havido o espírito solidário e
ajuda mútua, a situação teria sido rapidamente resolvida.

Conclusão:
Dificilmente o individualismo consegue transpor
barreiras.

O espírito de equipe é essencial para o alcance do
sucesso;

Uma equipe participativa, homogênea, coesa, vale mais
do que um batalhão de pessoas com posicionamentos isolados.

Isso vale para qualquer área de sua vida, especialmente
a profissional.

E, lembre sempre: A alegria faz bem à saúde; estar
sempre triste é morrer aos poucos.

O idiota e a Moeda.


Conta-se que numa cidade do interior um grupo de pessoas se
divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca
inteligência, que vivia de pequenos biscates e esmolas.
Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam
e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: uma grande
de 400 RÉIS e outra menor de 2.000 RÉIS. Ele sempre escolhia
a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos.
Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se
ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos.
- Eu sei, respondeu o tolo. "Ela vale cinco vezes menos, mas no
dia que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não
vou mais ganhar minha moeda".
Podem-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa.
A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é.
A segunda: Quais eram os verdadeiros idiotas da história?
A terceira: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.
Mas a conclusão mais interessante é: A percepção de que podemos estar bem,
mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito.
Portanto, o que importa não é o que pensam de nós, mas sim,
quem realmente é. O maior prazer de um homem inteligente é bancar o
idiota diante de um idiota que banca o inteligente.
A.D

Faça Mudanças


Se algo não está bem, reclamar não adianta.
Você já deve ter comprovado isso mais de um milhão de vezes, não é verdade?
Para fazer as coisas ficarem diferentes, é preciso agir, e agir imediatamente.
Deixar para amanhã o que você poderia fazer hoje, para começar uma mudança
imediata em sua vida, é o mesmo que deixar para daqui um ano, dois, dez...
Ou seja, se você realmente quer mudar, comece já. E saiba que é possível, aliás,
só é possível mudar se começar de imediato, se adiar, com certeza continuará adiando.

É claro que não se muda radicalmente tudo de uma só vez. Para mudar, é preciso começar.
Uma grande transformação, sempre tem um começo, por mais insignificante que seja.
Se você não está satisfeito com sua vida, continue mudando. E, se ao longo da jornada,
você que não era nada daquilo que você queria, e que realmente o importante,
era a vida que levava antes, mude novamente.

Afinal, voltar atrás, de forma consciente, também é mudar, e nunca se esqueça
que adiante de um abismo, as vezes é preciso recuar para encontrar um novo caminho.

Só não se deve nunca é ficar estacionado na vida, esperando que as coisas aconteçam.
A.D

As sete verdades do Bambú.


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando
férias na casa do seu avô,
o chamou para a varanda e falou:
Vovô corre aqui! Me explica como essa figueira, árvore frondosa e imensa,
que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu
com o vento e com a chuva... este bambu é tão fraco e continua de pé?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora
da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas.
Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante
dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade,
mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu,
pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a
cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes
de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que
vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem
com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos.
Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita,
comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando
proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar,
é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe
que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades
que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam
sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas
e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.
A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos
de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não
seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.
Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro:
ele só cresce para o alto.
Ele busca as coisas do Alto.

Essa é a sua meta.
Livro - Buscando coisas do alto

Empurre Sua Vaquinha.


Um Mestre da sabedoria passeava por uma floresta com seu fiel discípulo,
quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu
fazer uma breve visita...

Durante o percurso ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas
e as oportunidades de aprendizado que temos, também com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando ao sítio constatou a pobreza do lugar, sem calçamento,
casa de madeiras, os moradores, um casal e três filhos, vestidos
com roupas rasgadas e sujas...

Então se aproximou do senhor aparentemente o pai daquela família e perguntou:
Neste lugar não há sinais de pontos de comércio e de trabalho, então como o
senhor e a sua família sobrevivem aqui?

E o senhor calmamente respondeu:
"Meu amigo, nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite todos os dias.
Uma parte desse produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por outros
gêneros de alimentos e a outra parte nós produzimos queijo, coalhada, etc ....
para o nosso consumo, e assim vamos sobrevivendo".

O sábio agradeceu a informação, contemplou o lugar por uns momentos, depois se despediu
e foi embora. No meio do caminho, voltou ao seu fiel discípulo e ordenou:

Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e empurre-a, jogue-a lá em baixo".
O jovem arregalou os olhos espantando e questionou o mestre sobre o fato da vaquinha ser o
único meio de sobrevivência daquela família, mas, como percebeu o silêncio absoluto do seu mestre,
foi cumprir a ordem.

Assim, empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.
Aquela cena ficou marcada na memória daquele jovem durante alguns anos e
um belo dia ele resolveu largar tudo o que havia aprendido e voltar naquele
mesmo lugar e contar tudo àquela família, pedir perdão e ajudá-los.

Assim fez, e quando se aproximava do local avistou um sítio muito bonito,
com árvores floridas, todo murado, com carro na garagem e algumas crianças
brincando no jardim.

Ficou triste e desesperado imaginando que aquela humilde família tivera que vender
o sítio para sobreviver, "apertou" o passo e chegando lá, logo foi recebido por
um caseiro muito simpático e perguntou sobre a família que ali morava há uns quatro
anos e o caseiro respondeu:

Continuam morando aqui.
Espantado ele entrou correndo na casa, e viu que era mesmo a família que visitara
com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da a vaquinha):

Como o senhor melhorou este sítio e está tão bem de vida ???

E o senhor entusiasmado, respondeu:
Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu, daí em diante tivemos que
fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos, assim alcançamos
o sucesso que seus olhos vislumbram agora...

Ponto de reflexão:
Todos nós temos uma vaquinha que nos dá alguma coisa básica para sobrevivência
e uma conveniência com a rotina.

Descubra qual, a sua ... e empurre a sua "vaquinha" morro abaixo.

*Desconheço o Autor.

Despedida= Cecília Meireles=


Por mim, e por vós, e por mais aquilo
que está onde as outras coisas nunca estão,
deixo o mar bravo e o céu tranqüilo:
quero solidão.

Meu caminho é sem marcos nem paisagens.
E como o conheces? - me perguntarão.
- Por não ter palavras, por não ter imagens.
Nenhum inimigo e nenhum irmão.

Que procuras? Tudo. Que desejas? - Nada.
Viajo sozinha com o meu coração.
Não ando perdida, mas desencontrada.
Levo o meu rumo na minha mão.

A memória voou da minha fronte.
Voou meu amor, minha imaginação...
Talvez eu morra antes do horizonte.
Memória, amor e o resto onde estarão?

Deixo aqui meu corpo, entre o sol e a terra.
(Beijo-te, corpo meu, todo desilusão!

Estandarte triste de uma estranha guerra...)
Quero solidão.

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Amor - pois que é palavra essencial=Carlos Drummond de Andrade=


Amor - pois que é palavra essencial
comece esta canção e toda a envolva.
Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,
reúna alma e desejo, membro e vulva.
Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?
O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.
Integração na cama ou já no cosmo?
Onde termina o quarto e chega aos astros?
Que força em nossos flancos nos transporta
a essa extrema região, etérea, eterna?
Ao delicioso toque do clitóris,
já tudo se transforma, num relâmpago.
Em pequenino ponto desse corpo,
a fonte, o fogo, o mel se concentraram.
Vai a penetração rompendo nuvens
e devassando sóis tão fulgurantes
que nunca a vista humana os suportara,
mas, varado de luz, o coito segue.
E prossegue e se espraia de tal sorte
que, além de nós, além da prórpia vida,
como ativa abstração que se faz carne,
a idéia de gozar está gozando.
E num sofrer de gozo entre palavras,
menos que isto, sons, arquejos, ais,
um só espasmo em nós atinge o climax:
é quando o amor morre de amor, divino.
Quantas vezes morremos um no outro,
nu úmido subterrâneo da vagina,
nessa morte mais suave do que o sono:
a pausa dos sentidos, satisfeita.
Então a paz se instaura. A paz dos deuses,
estendidos na cama, qual estátuas
vestidas de suor, agradecendo
o que a um deus acrescenta o amor terrestre.

Autor: Carlos Drummond de Andrade

Acordar, Viver=Carlos Drummond de Andrade=


Como acordar sem sofrimento?
Recomeçar sem horror?
O sono transportou-me
àquele reino onde não existe vida
e eu quedo inerte sem paixão.

Como repetir, dia seguinte após dia seguinte,
a fábula inconclusa,
suportar a semelhança das coisas ásperas
de amanhã com as coisas ásperas de hoje?

Como proteger-me das feridas
que rasga em mim o acontecimento,
qualquer acontecimento
que lembra a Terra e sua púrpura
demente?
E mais aquela ferida que me inflijo
a cada hora, algoz
do inocente que não sou?

Ninguém responde, a vida é pétrea.

Autor: Carlos Drummond de Andrade

Amar= Carlos Drummond de Andrade=


Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave
de rapina.Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Autor: Carlos Drummond de Andrade

A nossa casa= Florbela Espanca=


A nossa casa, Amor, a nossa casa!
Onde está ela, Amor, que não a vejo?
Na minha doida fantasia em brasa Constroi-a,
num instante, o meu desejo! Onde está ela,
Amor, a nossa casa,
O bem que neste mundo mais invejo?
O brando ninho aonde o nosso beijo
Será mais puro e doce que uma asa?
Sonho...que eu e tu, dois pobrezinhos,
Andamos de mãos dadas, nos caminhos
Duma terra de rosas, num jardim,
Num país de ilusão que nunca vi...
E que eu moro - tão bom!
- Dentro de ti E tu, ó meu Amor,
dentro de mim...

Os meus versos =Florbela Espanca=


Rasga esses versos que eu te fiz, Amor!
Deita-os ao nada, ao pó ao esquecimento,
Que a cinza os cubra, que os arraste o vento,
Que a tempestade os leve aonde for!
Rasga-os na mente, se os souberes de cor,
Que volte ao nada o nada dum momento.
Julguei-me grande pelo sentimento,
E pelo orgulho ainda sou maior!...
Tanto verso já disse o que eu sonhei!
Tantos penaram já o que eu penei!
Asas que passam, todo o mundo as sente...
Rasga os meus versos... Pobre endoidecida!
Como se um grande amor cá nesta vida
Não fosse o mesmo amor de toda a gente!

Dizeres íntimos= Florbela Espanca=


É tão triste morrer na minha idade!
E vou ver os meus olhos, penitentes
Vestidinhos de roxo, como crentes
Do soturno convento da Saudade!
E logo vou olhar (com que ansiedade!)
As minhas mãos esguias, languescentes,
Mãos de brancos dedos, uns bebés doentes
Que hão-de morrer em plena mocidade!
E ser-se novo é ter-se o Paraíso
É ter-se a estrada larga, ao sol, florida,
Aonde tudo é luz e graça e riso!
E os meus vinte e três anos...
(Sou tão nova!)
Dizem baixinho a rir
"Que linda a vida!"
Responde a minha Dor:
"Que linda a cova!"

O nosso mundo= Florbela Espanca=


Eu bebo a Vida, a Vida,
a longos tragos Como um divino vinho de Falerno
Pousando em ti o meu olhar eterno Como pousam as
folhas sobre os lagos... Os meus sonhos agora são
mais vagos O teu olhar em mim, hoje é mais terno...
E a Vida já não é o rubro inferno Todo fantasmas
tristes e presságios! A Vida, meu amor, quero vivê-la!
Na mesma taça erguida em tuas mãos, Bocas unidas
hemos de bebê-la! Que importa o mundo e as ilusões defuntas?...
Que importa o mundo e seus orgulhos vãos?...
O mundo, Amor!...
As nossas bocas juntas!...

Vaidade Florbela =Espanca=


Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!
Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!
Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!
E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho... E não sou nada!

Conto de fadas =Florbela Espanca=


Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido,
Amor! E para as tuas chagas o ungüento
Com que sarei a minha própria dor.
Os meus gestos são ondas de Sorrento...
Trago no nome as letras duma flor...
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...
Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de ouro, a onda que palpita.
Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa de conto: "Era uma vez..."

Com a beleza sutil de uma flor, o nome da poeta a descreve: Florbela.


Amor! Anda o luar, todo bondade,
Beijando a Terra, a desfazer-se em luz... Amor!
São os pés brancos de Jesus Que anda pisando
as ruas da cidade! E eu ponho-me a pensar...
Quanta saudade Das ilusões e risos que em ti pus!
Traças em mim os braços duma cruz, Neles pregaste
a minha mocidade! Minha alma que eu te dei,
cheia de mágoas, É nesta noite o nenúfar de um lago
Estendendo as asas brancas sobre as águas!
Pois as mãos nos meus olhos, com carinho,
Fecha-os num beijo dolorido e vago...
E deixa-me chorar devagarinho...

O Caderno =Vinicius e Toquinho


Sou eu que vou seguir você
Do primeiro rabisco
Até o be-a-bá.
Em todos os desenhos
Coloridos vou estar
A casa, a montanha
Duas nuvens no céu
E um sol a sorrir no papel...

Sou eu que vou ser seu colega
Seus problemas ajudar a resolver
Te acompanhar nas provas
Bimestrais, você vai ver
Serei, de você, confidente fiel
Se seu pranto molhar meu papel...

Sou eu que vou ser seu amigo
Vou lhe dar abrigo
Se você quiser
Quando surgirem
Seus primeiros raios de mulher
A vida se abrirá
Num feroz carrossel
E você vai rasgar meu papel...

O que está escrito em mim
Comigo ficará guardado
Se lhe dá prazer
A vida segue sempre em frente
O que se há de fazer...

Só peço, à você
Um favor, se puder
Não me esqueça
Num canto qualquer.

Para Viver Um Grande Amor = Vinicius E Toquinho=


Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso.
Muita seriedade e pouco riso, para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher.
Pois ser de muitas, pôxa!, é pra quem quer, nem tem nenhum valor.
Pra viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro
E ser de sua dama por inteiro, seja lá como for.
Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada
E portar-se de fora com uma espada para viver um grande amor.

Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Para viver um grande amor direito, não basta apenas ser um bom sujeito.
É preciso também ter muito peito, peito de remador.
É sempre necessário ter em vista um crédito de rosas no florista,
Muito mais, muito mais que na modista!
Para viver um grande amor.
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas,
Molhos, filés com fritas - comidinhas para depois do amor.
E o que há de melhor que ir para a cozinha e preparar com amor uma galinha
Com uma rica e gostosa farofinha para o seu grande amor?

Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia.

Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto,
E até ser, se possível, um só defunto pra não morrer de dor.
É preciso um cuidado permanente não só com o corpo, mas também com a mente,
Pois qualquer "baixo" seu a amada sente e esfria um pouco o amor.
Há que ser bem cortês sem cortesia, doce e conciliador sem covardia.
Saber ganhar dinheiro com poesia, não ser um ganhador.
Mas tudo isso não adianta nada se nesta selva escura e desvairada
Não se souber achar a grande amada para viver um grande amor.

Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia.

Que Maravilha= Vinicius e Toquinho=


Lá fora está chovendo
Mas assim mesmo
Eu vou correndo
Só prá ver o meu amor
Ela vem toda de branco
Toda molhada
E despenteada
Que Maravilha
Que coisa linda
Que é o meu amor...

Por entre bancários
Automóveis
Ruas e avenidas
Milhões de buzinas
Tocando sem cessar...

Ela vem chegando de branco
Meiga, linda, pura
E muito tímida
Com a chuva molhando
Seu corpo
Que eu vou abraçar...

E a gente no meio da rua
Do mundo, no meio da chuva
A girar!
Que Maravilha!
A girar!
Que Maravilha!
A girar!
Que Maravilha!...

Lá fora está chovendo
Mas assim mesmo
Eu vou correndo
Só prá ver o meu amor
Ela vem toda de branco
Toda molhada
E despenteada
Que Maravilha
Que coisa linda
Que é o meu amor...

Por entre bancários
Automóveis
Ruas e avenidas
Milhões de buzinas
Tocando sem cessar...

Ela vem chegando de branco
Meiga, linda e pura
E muito tímida
Com a chuva molhando
Seu
Que eu vou abraçar...

E a gente no meio da rua
Do mundo, no meio da chuva
A girar!
Que Maravilha!
Que Maravilha!
Que Maravilha!...

Tarde em Itapuã - Vinicius de Moraes + Toquinho -


Um velho calção de banho
Um dia prá vadiar
O mar que não tem tamanho
E um arco-íris no ar...

Depois, na Praça Caymmi
Sentir preguiça no corpo
E numa esteira de vime
Beber uma água de côco
É bom!...

Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã...

Enquanto o mar inaugura
Um verde novinho em folha
Argumentar com doçura
Com uma cachaça de rolha...

E com olhar esquecido
No encontro de céu e mar
Bem devagar ir sentindo
A terra toda rodar
É bom!...

Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã...

Depois sentir o arrepio
Do vento que a noite traz
E o diz-que-diz-que macio
Que brota dos coqueirais...

E nos espaços serenos
Sem ontem nem amanhã
Dormir nos braços morenos
Da lua de Itapuã
É bom!...

Passar uma tarde em Itapuã
Ao sol que arde em Itapuã
Ouvindo o mar de Itapuã
Falar de amor em Itapuã...

Mundo da Criança= Toquinho=


É sempre colorido, muitas vezes de papel
Com arcos, flechas, índios e soldados
Cheinho de presentes feitos por papai noel
O mundo da criança e iluminado

Baleias gigantescas, violentos tubarões
Mistérios de um espaço submerso
Espaçonaves passam por dez mil constelações
O mundo da criança é um universo
O mundo da criança é um universo

Pipas, peões, bolas, balões, skates e patins
Vovó, vovô, mamãe, papai, família
É fácil imaginar uma aventura
Dentro de uma selva escura
Com perigos e armadilhas
Viagens para encontrar minas de ouro
Piratas e um tesouro enterrado numa ilha

Imagens, games, bate-papos no computador
O tempo é cada vez mais apressado
E mesmo com todo esse imenso interativo amor
O mundo da criança é abençoado
O mundo da criança é abençoado.

O Pinguim =Toquinho=


Bom dia pinguim,
Onde vais assim
Com ar apressado?
Eu não sou malvado,
Não fique assustado
Com medo de mim.

Eu só gostaria
De dar um tapinha
No seu chapéu jaca.
Ou bem de levinho
Puxar o rabinho
Da sua casaca.

Quando você caminha
Parece o Chacrinha
Lelé da caixola.
E um velho senhor
Que foi meu professor
No meu tempo de escola.

Pinguim, meu amigo,
Não zangue comigo
Nem perca a estribeira.
Não pergunte por quê,
Mas todos põem você
Em cima da geladeira.

Aquarela,, =Toquinho e Vinicius de Morais=


Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo
Com o lápis em torno da mão
E me dou uma luva
E se faço chover
Com dois riscos tenho um guarda chuva
Se um pinguinho de tinta
Cai num pedacinho azul do papel
Num instante imagino
Uma linda gaivota a voar no céu
Vai voando,
Contornando a imensa curva norte sul
Vou com ela viajando
Havaí, Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela,
Branco, navegando,
É tanto céu e mar num beijo azul
Entre as nuvens vem surgindo
Um lindo avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar
Basta imaginar e ele está partindo,
Sereno, lindo,
E, se a gente quiser,
Ele vai pousar
Numa folha qualquer
Eu desenho um navio de partida
Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida
De uma América a outra
Consigo passar num segundo
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo
Um menino caminha
E caminhando chega num muro
E ali logo em frente
A esperar pela gente o futuro está
E o futuro é uma astronave
Que tentamos pilotar
Não tem tempo nem piedade
Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença
Muda nossa vida
E depois convida
A rir ou chorar
Nessa estrada não nos cabe
Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe
Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
De uma aquarela
Que um dia enfim
Descolorirá
Numa folha qualquer
Eu desenho um sol amarelo
(que descolorirá)
E com cinco ou seis retas
É fácil fazer um castelo
(que descolorirá)
Giro um simples compasso
E num círculo eu faço o mundo
(que descolorirá)

=Shakespeare=


Os amigos me adulam e me fazem de asno,
mas meus inimigos me dizem abertamente que o sou,
de forma que com os inimigos (...)
aprendo a me conhecer e com os amigos me
sinto prejudicado.
(Noite de Reis)

=Shakespeare=

=Shakespeare=


E você aprende que amar não significa apoiar-se,
e que companhia nem sempre significa segurança.
Aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
E aprende que, não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam…
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la
por isso. Aprende que falar pode curar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para construir uma confiança,
e apenas segundos para destruí-la.
Aprende que verdadeiras amizades continuam
a crescer mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você tem na vida. Descobre que as pessoas com
quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito depressa…
por isso sempre devemos deixar as pessoas que amamos com
palavras amorosas; pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém…
Algumas vezes você tem de aprender a perdoar a si mesmo.
E você aprende que realmente pode suportar… que realmente é forte,
e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida.”

=Shakespeare=

Um dia você aprende que..=Shakespeare=


Um dia você aprende que...

... não importa em quantos pedaços seu Coração
foi quebrado,o mundo nunca pára para que você o conserte.
Aprende que o Tempo não é algo que possa voltar para trás.
Por tanto, plante seu Jardim e decore sua alma, ao invés
de esperar que alguém lhe traga FloOreees.
E você aprendeee que realmente pode supoOrtar, que realmente
é forte e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode.
E que realmente a Vida tem valor e mais que você tem valor diante da vida.
Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que
poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar...

=Shakespeare=

=William Shakespeare =


"Amor quando é amor não definha
E até o final das eras há de aumentar.
Mas se o que eu digo for erro
E o meu engano for provado
Então eu nunca terei escrito
Ou nunca ninguém terá amado."

=William Shakespeare =

=William Shakespeare =


Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe
depois de pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor e que você tem
valor diante da vida.

=William Shakespeare =

=William Shakespeare =


``Se você se sente só,
é porque ergueu muros
em vez de pontes´´

=William Shakespeare =

~ Soneto 18 ~=William Shakespeare =


Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

=William Shakespeare =

Total de visualizações de página

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM SEGUIDOR DESTE BLOG...A POESIA AGRADECE!!!CLIQUE ABAIXO..

Meus Amigos Queridos!

Postagens populares

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Deixe o seu comentário!